ANÚNCIO DE VAGA PARA SUPERVISOR NA ÁREA DE SANEAMENTO – TERMOS DE REFERÊNCIA

A ADPP-GB é uma das organizações co-implementadoras num consórcio que irá executar o Programa para a Resiliência e as Oportunidades Socioeconómicas para a Guiné-Bissau (ProGB), denominado de Ianda Guiné!, que é financiado pela União Europeia e terá a duração de 5 anos.

O Ianda Guiné! pretende promover soluções para problemas sociais e novas oportunidades económicas e subdivide-se em 8 ações complementares.

No Ianda Guiné! a ADPP Guiné-Bissau colabora na ação Ianda Lus Ku Iagu! que irá agir para a melhoria das infraestruturas e serviços de acesso à Água, Saneamento e Energia, incidindo a intervenção no Objectivo Especifico 3 “Melhorar as condições de higiene das comunidades rurais”. Trata-se da vertente que visa melhorar as condições de higiene e saneamento nos contextos rurais, através da metodologia CLTS – Saneamento Total Liderado pela
Comunidade.

É neste contexto que a ADPP Guiné Bissau está a procura de um(a) candidato(a) para a vaga de ´´Supervisor na área de Saneamento´´.

Faça o download dos  Termos de Referência clicando: AQUI

CONTRIBUTOS DA FEDERAÇÃO HUMANA PEOPLE TO PEOPLE – DESTAQUES DE 2018

A ADPP Guiné-Bissau é uma das associações que fundou a Federação Humana People to People, uma rede mundial de organizações que trabalham para o desenvolvimento sustentável, que se constitui como Federação no ano de 1996, mas cujo a génese do trabalho conjunto remonta ao ano de 1977.

Atualmente, a Federação conta com 30 membros que operam em 45 países em todo o mundo, incluindo 12 países em África, 3 na América Latina, 4 na Ásia, 25 na Europa e 1 na América do Norte.

A reutilização de roupa é um dos projetos centrais e transversais de todas as associações ligadas à Federação Humana. As associações situadas em países com maiores índices de desenvolvimento recolhem e promovem a reutilização de roupas e calçado usado, utilizando os rendimentos provenientes dessa ação para apoiar projetos socioambientais em países em vias de desenvolvimento.

Nos países em vias de desenvolvimento, o trabalho das organizações da Federação caracteriza-se pelo compromisso a longo prazo e pelas respostas sustentáveis para os principais desafios humanitários, sociais e ambientais de cada contexto. A ação faz-se com predominância no meio rural, com abordagens participativa, na busca de um conhecimento profundo das necessidades e potencialidades de desenvolvimento das comunidades e em estreita colaboração com atores locais, nacionais e internacionais, incluindo instituições governamentais, entidades não-governamentais e a comunidade empresarial.

Em termos genéricos, entre outros benefícios, a Federação Humana People to People permite à ADPP Guiné-Bissau e a todos os seus membros o acesso a uma rede de apoio e assistência interassociativa que permite a troca de experiências e a capitalização de conhecimentos e recursos; a discussão e defesa de interesses comuns; o desenvolvimento de programas e metodologias; a maximização dos resultados; a capacitação de recursos humanos; uma representação internacional, etc.

APOIOS ESPECÍFICOS EM 2018:

Em termos específicos, em 2018, foram cinco as organizações da Federação Humana People to People que apoiaram diretamente projetos da ADPP Guiné-Bissau: a Humana People to People Baltic, da Lituânia; a UFF Norge, da Noruega; a Humana Fundación Pueblo para Pueblo, de Espanha; a Humana Portugal; UFF-Humana People to People, da Dinamarca.

Juntam-se, ainda, as doações do Humana Second Hand Fundraising Projects, que são as doações decorrentes do projeto de vendas de roupa em segunda mão.

Os apoios fazem-se em numerário e/ou em géneros. Desde 2015, por exemplo, a ADPP tem uma parceria com UFF-Humana People to People, da Dinamarca para recolha e envio de materiais em segunda mão. No âmbito desta parceria recebeu em 2018 dois contentores, um com equipamento hospitalar que beneficiou o hospital em Bissorã com camas e outros equipamentos hospitalares, além de cadeiras de rodas e muletas para a Escola de portadores de deficiência física de Bissorã. O segundo contentor de mobiliário destinou-se a equipar a Escola de Formação de Professores e Jardim Caderná (préescolar) em Bachil e a Escola Vocacional de Bissorã.

Camas cedidas ao hospital de Bissorã no âmbito das relações de parceria entre a ADPP Guiné-Bissau e a UFF-Humana People to People.

 

Noticia da dação da UFFHumana People to People (da Dinamarca) no Jornal “Nô Pintcha”

Durante os últimos anos, a Escola de Formação de Professores recebeu também livros da Humana Portugal. Os livros são usados na comunidade e inspiraram os alunos e professores a fazerem um Clube de Leitura.

AS PLANTAÇÕES DE CAJU – DESTAQUES DE 2018

Desde os primórdios da sua ação, nos anos 80, que a ADPP Guiné-Bissau considerou crucial a valorização do sector agrícola e, em particular, do caju enquanto motor de desenvolvimento socioeconómico do país bem como meio para o trabalho social que desenvolvia.

Atualmente é reconhecido o impacto da ADPP no desenvolvimento das boas práticas de plantação que se difundiram através dos muitos colaboradores da ADPP que, posteriormente, levaram os conhecimentos para as suas comunidades e produções familiares.

Até à data, a ADPP Guiné-Bissau já formou e empregou mais de 700 jovens nas diferentes funções da produção de caju.

A partir de 2010, na Província do Norte, em Oio, a ADPP iniciou o aluguer de parcelas de um terreno de 606 hectares, de que é proprietária, a taxas simbólicas a pequenos agricultores que recebem formação promovida pela ADPP e diversas ajudas técnicas para a promoção de boas práticas de cultivo e gestão de pomares de cajueiros.

  • 95.000 kg de castanhas de caju produzidos no total das parcelas alugadas
  • 146 famílias de pequenos agricultores com pomares de cajueiros em plena produção
  • 146 parcelas do terreno receberam controlo de pragas/doenças e foram podadas as árvores dos pomares
  • 1 ação de limpeza aos 606 hectares e às 146 parcelas alugadas, realizada pelas famílias beneficiárias
  • 1 Mapeamento de 606 hectares de pomares de cajueiros realizado, com levantamento de dados estatísticos sobre as condições físicas, produtividade e qualidade das 16.834 árvores existentes
  • 146 pequenos agricultores/produtores de caju receberam formação em Boas Práticas nas Culturas de Caju e em Gestão Financeira  1 formação de capacitação dirigida para 10 líderes do projeto realizada
  • 146 famílias de pequenos agricultores/produtores de caju selecionadas para arrendatárias de pequenas parcelas (4.15 hectares/família) para a promoção de boas pratica de cultivo e gestão de pomares de cajueiros

 

 

 

O PROJETO DE ANGARIAÇÃO DE FUNDOS – VESTUÁRIO – DESTAQUES DE 2018

Enquadrado numa lógica ambientalista de Economia Circular, o Projeto de Angariação de Fundos – Vestuário tem como objetivo fulcral contribuir para um sistema produtivo e de consumo eficiente no uso de recursos, colaborando para uma sociedade sustentável a nível económico, social e ambiental.

O projeto envolve o contributo de Organizações da Sociedade Civil de diversos países que, tal como a ADPP Guiné-Bissau, são membros da Federação das Associações ligadas ao Movimento Internacional Humana People to People.

As Associações presentes nos países economicamente mais desenvolvidos fazem campanhas permanentes de recolha de artigos de vestuário que, posteriormente, são vendidos para reutilização nesses mesmos países e/ou em países em vias de desenvolvimento.

É neste contexto que a ADPP recebe, permanentemente, “fardos de roupa”, a grosso, que são vendidos aos pequenos comerciantes da Guiné-Bissau.

Depois, os pequenos comerciantes vendem os artigos a retalho e obtêm os seus rendimentos.

Uma parte das roupas é doada às populações mais carenciadas. Estas doações são feitas pela ADPP direta ou indiretamente, como por exemplo pelos Ministérios que, frequentemente, recebem doações do Projeto para entregarem os artigos aos grupos mais necessitados, como crianças, mulheres, prisioneiros, vítimas de calamidades naturais, entre outros.

O Projeto consegue, em simultâneo, contribuir para os seguintes fins:

  1. Proporciona o acesso a vestuário (necessidade básica) a preços mais acessíveis;
  2. Estimula a solidariedade internacional direta, numa ajuda para o desenvolvimento do povo (que doa) para o povo (que necessita);
  3. Contribui para a sustentabilidade ambiental ao prolongar o ciclo de vida do vestuário e calçado;
  4. Proporciona rendimento para os pequenos comerciantes; e) Gera recursos financeiros que apoiam muitas das atividades de economia social e solidária que a ADPP Guiné-Bissau promove.

Alguns dos principais DESTAQUES DE 2018:

  • 4.651 clientes
  • 493 toneladas de roupa vendida
  • 57 toneladas de sapatos vendidos
  • 21 funcionários para venda
  • 5 funcionários para administração
  • 5 locais de venda

  

REINTEGRAÇÃO DOS MIGRANTES GUINEENSES RETORNADOS – DESTAQUES DE 2018

Em julho de 2018, a ADPP Guiné-Bissau e os seus parceiros deram início à ação do projeto BU TERRA IBU LUGAR SEGURO – Reintegração dos Migrantes Guineenses Retornados.

Com a duração de 12 meses, o projeto decorre nas regiões de Bafatá, Gabú e no Sector Autónomo de Bissau.

Visa contribuir para a reinserção socioeconómica de 35 jovens (entre os 18 e os 35 anos de idade) que tenham experimentado a prática de migração irregular e regressado à Guiné-Bissau.

Na ação do projeto estão envolvidos diversos stakeholders e um Comité de Seleção e de Pilotagem. Os migrantes retornados receberão formação profissional em cursos técnicos e em gestão de pequenas atividades geradoras de rendimentos bem como apoio psicossocial para a superação de traumas/stresse e apoio técnico/financeiro para a implementação de atividades económicas, com vista a uma reintegração efetiva e sustentável. O projeto propõe-se também a promover um reforço da disseminação de informação sobre os riscos da migração irregular e sobre a livre circulação de pessoas no espaço CEDEAO. Neste âmbito, a ação decorre junto das autoridades que tutelam a área das migrações em Bissau, Bafatá e Gabú bem como através dos meios de comunicação social guineenses e junto das autoridades locais competentes. Emissões radiofónicas de teatros, sensibilização junto de escolas, formação de ativistas e a participação num Festival Cultural das Migrações foram algumas das atividades já realizadas.

Alguns dos principais DESTAQUES DE 2018:

  • 83 ativistas receberam formação sobre a migração
  • 35 migrantes retornados foram selecionados para o projeto
  • 5 emissões de teatros radiofónicos em diferentes rádios comunitárias realizadas
  • 1 Festival Cultural das Migrações realizado em parceria com outras organizações que intervêm na temática em Gabú
Participação no 1 Festival Cultural das Migrações em Gabú.

O projeto enquadra-se no Programa FMM (Free Movimento of Migrant) da África Ocidental, financiado pela Comissão da CEDEAO e União Europeia e que é implementado pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), o Centro Internacional para o Desenvolvimento de Políticas de Migração (ICMPD) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Os parceiros locais da ADPP Guiné-Bissau para a implementação do BU TERRA IBU LUGAR SEGURO são a Direção Geral das Comunidades e a Associação de Emigrantes e Amigos da Guiné-Bissau.

Apresentação sobre migração na Escola de Ensino Básico Unificado de Buba.

O SANEAMENTO TOTAL LIDERADO PELA COMUNIDADE – DESTAQUES DE 2018

De março a junho de 2018, a ADPP Guiné-Bissau implementou, conjuntamente com a ONG PLAN Internacional, o projeto Saneamento Total Liderado pela Comunidade (CLTS): Participação e Educação nas comunidades de Camalidja, Darsalam, Durbali, Manrué (do setor de Pirada) e de Tonhataba (no setor de Sonaco), na região de Gabu.

O projeto teve como o objectivo geral de melhorar a saúde, higiene e o saneamento das comunidades com vista a reduzir a incidência de doenças diarreicas de origem hídrica e fecal. Para o efeito, entre outras atividades, a ADPP Guiné-Bissau capacitou voluntários, animadores e um coordenador no método CLTS, realizou ações de esclarecimento e sensibilização (públicas e de visitas porta-a-porta) sobre sistemas da higiene e saneamento nas latrinas.

No final, o projeto conseguiu um dos seus grandes objetivos, a sensibilização das cinco comunidades para declararem o fim da defecação ao ar livre.

Alguns dos principais DESTAQUES DE 2018:

  • 80 ações de limpeza realizadas pelo grupo de saneamento
  • 58 novas latrinas construídas
  • 25 ativistas /voluntários formados no método CLTS
  • 10 sessões de sensibilização realizadas em escolas
  • 5 artesões tradicionais formados para a construção de latrinas
  • 5 grupos de saneamento criados
  • 5 comunidades declararam o fim da defecação ao ar livre
Cerimonia do fim da defecação ao ar livre, na comunidade de Camalidja, no dia 19 de Junho de 2018 .

 

Formação para a construção de latrinas.
Construção de latrinas.
Sensibilização para a necessidade de uma correta higienização das mãos.

A FORMAÇÃO DE GRUPOS JUVENIS PARA A IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DE POTENCIALIDADES LOCAIS DE EMPREENDEDORISMO – DESTAQUES DE 2018

Jovens ensinando/sensibilizando sobre o sistemas de poupança e empréstimos de base comunitária.

Em novembro de 2017 a ADPP Guiné-Bissau deu início ao projeto Formação de Grupos Juvenis e Comunitários em Identificação e Analise de Potencialidades Locais de Empreendedorismo.

Com uma duração de 7 meses e financiado pela PLAN Internacional, o projeto visou promover em grupos juvenis das comunidades comportamentos positivos que contribuíssem para uma integração na vida económica e social nas suas comunidades, em Gabu.

Utilizando metodologias de intervenção específicas, para além do enfoque no Empreendedorismo, o projeto incentivou o investimento na escolarização, com destaque para meninas.

Promoveram-se ainda diversas sessões temáticas ligadas a temas como a saúde sexual reprodutiva; a Educação; a Proteção de Crianças, a Igualdade de Género e sobre a cultura de associativíssimo e a entreajuda ativa nas suas comunidades.

 

 

Alguns dos principais DESTAQUES DE 2018:

  • 13 agrupamentos criados em 13 comunidades em mecanismos simples de poupança e empréstimos de base comunitária
  • 11 agentes comunitários identificados e formados
  • 11 campanhas de sensibilização realizadas
  • 1 Comité Consultivo de jovens criado
  • 1 estudo de base/levantamento da situação das comunidades beneficiárias realizado

 

Jovem a explicar o sistemas de poupança e empréstimo de base comunitária .
Jovens aprendendo sobre sistemas de poupança e empréstimos de base comunitária.

A EDUCAÇÃO PARA OS DIREITOS HUMANOS – DESTAQUES DE 2018

Guia Prático de Direitos Humanos foi distribuído aos estudantes.

Em 2018, com o apoio da Embaixada do Reino dos Países Baixos (sediada em Dakar), a ADPP Guiné-Bissau continuou a promover, na região de Cacheu, a educação, defesa e promoção dos Direitos Humanos.

Dirigido para as localidades do meio rural, o projeto envolve 50 estudantes da Escola de Formação de Professores de Bachil que foram capacitados na prática de projetos de Direitos Humanos e intervenção comunitária. O projeto visa criar 40 Comités de Direitos Humanos em 40 localidades bem como o desenho e implementação de 40 Planos de Ação. Atividades de divulgação/sensibilização para os Direitos Humanos foram implementadas, como reuniões com os moradores das comunidades, visitas de porta em porta, sensibilização nas escolas, celebração dos dias internacionais (da Criança, da Mulher e dos Direitos Humanos), produção e emissão de spots radiofónicos, distribuição de camisolas e panfletos, etc.

Alguns dos principais DESTAQUES DE 2018:

  • 50 estudantes da Escola de Formação de Professores da ADPP foram formados para serem agentes de desenvolvimento na área Direitos Humanos nas comunidades
  • 40 Comités de Direitos Humanos foram estabelecidos pelos estudantes em 40 comunidades de região Cacheu
  • 40 Planos de Ação para a promoção dos Direitos Humanos foram desenvolvidos pelos Comités de Direitos Humanos
Formação dos estudantes da Escola de Formação de Professores da ADPP para serem agentes de desenvolvimento na área dos Direitos Humanos.
Os Comités de Direitos Humanos receberam 40 megafones e 40 álbuns seriados para facilitar ações de comunicação / sensibilização.

A ESCOLA VOCACIONAL – DESTAQUES DE 2018

Em 2018, a Escola Vocacional da ADPP Guiné-Bissau, em Bissorã, recebeu 93 novos estudantes. Destes, 69 são do sexo masculino e 24 do feminino e inscreveram-se nos 5 cursos promovidos pela Escola Vocacional da seguinte forma: 41 no curso de Agropecuária; 23 no curso de Energia Solar e Eletricidade; 14 no curso de Construção Civil; 8 no curso de Canalização e Reparação de Bombas de Água e 7 no curso de Comércio e Administração.

Os cursos têm a duração de 11 meses, decorrem em regime de internato e os programas formativos incluem componentes teóricas e práticas bem como atividades de responsabilidade social nas comunidades e tarefas de manutenção e gestão da Escola.

Em Escola Vocacional continuou a beneficiar e/ou a promover importantes projetos de cooperação internacional. O Projeto de Desenvolvimento da Cadeia de Valor Arroz, financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento, veio beneficiar/envolver os estudantes do curso de Agricultura e Pecuária, curso que também já estava envolvido no projeto Produção e Comercialização de Caju, financiado pela União Europeia. A Foundation Schneider Electric continuou a apoiar o curso de Tecnologia de Energia Solar e Eletricidade e, conjuntamente com a ONG portuguesa Sol sem Fronteiras, a ADPP continuou a implementar o projeto “Capacitando Futuro”, que é financiado pelo Instituto Camões, I.P., e que visa aumentar a oferta formativa da Escola Vocacional bem como as suas infraestruturas, através da construção de um dormitório para 32 alunos e de um alpendre para aulas práticas.

Alguns dos principais DESTAQUES DE 2018:

  • 41 estudantes, dos quais 10 do sexo feminino, formados em Agropecuária com especialização em cadeia de valor do caju
  • 23 estudantes formados em Tecnologia de Energia Solar e Electricidade
  • 14 estudantes formados em Construção Civil
  • 8 estudantes formados em Canalização e Reparação de Bombas de Água
  • 7 estudantes formados em Comércio e Administração
  • 1 dormitório para 32 alunos e 1 alpendre para aulas práticas construídos
Aula prática do curso de Agropecuária.
Aula prática do curso de Tecnologia de Energia Solar e Electricidade.
Aula prática do curso de Construção Civil.
Aula prática do curso de Comércio e Administração.
Aula prática do curso de Canalização e Reparação de Bombas de Água.