Vacancy – Responsável de Comunicação e Visibilidade

Interested candidates should send the updated Curriculum Vitae and letter of motivation, with explicit references to the main qualifications required, by January 25, 2020 to Avenida Combatentes da Liberdade da Pátria, Bairro Internacional, CP 420. , Bissau, Guinea-Bissau or by email to adpp@adpp-gb.org and mette@adpp-gb.org with reference ADPP-GB-001-2020. The documents must be written in Portuguese.

http://www.adpp-gb.org/wp-content/uploads/2020/01/TdR-ADPP-GB-Responsável-de-Comunicaçao-e-Visibilidade.pdf

Only pre-selected applications will be contacted for interviews.

Anúncio de Abertura de duas Vagas

Anúncio de Abertura de Vaga para a posição de Coordenador/a Geral e Gestor/a de Projecto

A ADPP Guiné-Bissau convida à apresentação de candidaturas para uma vaga na posição de Coordenador/a Geral e uma vaga na posição de Gestor/a de Projeto no âmbito do Projeto – Nha Horta i Nha Sabura – Desenvolvimento Sustentável da Fileira Hortícola para a Promoção da Segurança Alimentar e Nutricional – com a duração prevista de 47 meses.

Os Termos de Referência encontram-se disponíveis para consulta na Sede da ADPP GB – no Bº Internacional – ou online – TdR Coordenador/a & TdR Gestor/a

Agradece-se o envio de Curriculum Vitae e Carta de Motivação, até dia 12 de Janeiro de 2020, com a Referência “Ianda Hortas!”, para os seguintes endereços:

Correio electrónico: osvaldocoutinho@adpp-gb.orge braimamane@adpp-gb.org.

Entrega ou Envio para a Morada da Sede da ADPP Guiné-Bissau: Bº Internacional, Av. Combatentes da Liberdade da Pátria, C.P. 420, Bissau, Guiné-Bissau.

 

ANÚNCIO DE VAGA PARA SUPERVISOR NA ÁREA DE SANEAMENTO – TERMOS DE REFERÊNCIA

A ADPP-GB é uma das organizações co-implementadoras num consórcio que irá executar o Programa para a Resiliência e as Oportunidades Socioeconómicas para a Guiné-Bissau (ProGB), denominado de Ianda Guiné!, que é financiado pela União Europeia e terá a duração de 5 anos.

O Ianda Guiné! pretende promover soluções para problemas sociais e novas oportunidades económicas e subdivide-se em 8 ações complementares.

No Ianda Guiné! a ADPP Guiné-Bissau colabora na ação Ianda Lus Ku Iagu! que irá agir para a melhoria das infraestruturas e serviços de acesso à Água, Saneamento e Energia, incidindo a intervenção no Objectivo Especifico 3 “Melhorar as condições de higiene das comunidades rurais”. Trata-se da vertente que visa melhorar as condições de higiene e saneamento nos contextos rurais, através da metodologia CLTS – Saneamento Total Liderado pela
Comunidade.

É neste contexto que a ADPP Guiné Bissau está a procura de um(a) candidato(a) para a vaga de ´´Supervisor na área de Saneamento´´.

Faça o download dos  Termos de Referência clicando: AQUI

CONTRIBUTOS DA FEDERAÇÃO HUMANA PEOPLE TO PEOPLE – DESTAQUES DE 2018

A ADPP Guiné-Bissau é uma das associações que fundou a Federação Humana People to People, uma rede mundial de organizações que trabalham para o desenvolvimento sustentável, que se constitui como Federação no ano de 1996, mas cujo a génese do trabalho conjunto remonta ao ano de 1977.

Atualmente, a Federação conta com 30 membros que operam em 45 países em todo o mundo, incluindo 12 países em África, 3 na América Latina, 4 na Ásia, 25 na Europa e 1 na América do Norte.

A reutilização de roupa é um dos projetos centrais e transversais de todas as associações ligadas à Federação Humana. As associações situadas em países com maiores índices de desenvolvimento recolhem e promovem a reutilização de roupas e calçado usado, utilizando os rendimentos provenientes dessa ação para apoiar projetos socioambientais em países em vias de desenvolvimento.

Nos países em vias de desenvolvimento, o trabalho das organizações da Federação caracteriza-se pelo compromisso a longo prazo e pelas respostas sustentáveis para os principais desafios humanitários, sociais e ambientais de cada contexto. A ação faz-se com predominância no meio rural, com abordagens participativa, na busca de um conhecimento profundo das necessidades e potencialidades de desenvolvimento das comunidades e em estreita colaboração com atores locais, nacionais e internacionais, incluindo instituições governamentais, entidades não-governamentais e a comunidade empresarial.

Em termos genéricos, entre outros benefícios, a Federação Humana People to People permite à ADPP Guiné-Bissau e a todos os seus membros o acesso a uma rede de apoio e assistência interassociativa que permite a troca de experiências e a capitalização de conhecimentos e recursos; a discussão e defesa de interesses comuns; o desenvolvimento de programas e metodologias; a maximização dos resultados; a capacitação de recursos humanos; uma representação internacional, etc.

APOIOS ESPECÍFICOS EM 2018:

Em termos específicos, em 2018, foram cinco as organizações da Federação Humana People to People que apoiaram diretamente projetos da ADPP Guiné-Bissau: a Humana People to People Baltic, da Lituânia; a UFF Norge, da Noruega; a Humana Fundación Pueblo para Pueblo, de Espanha; a Humana Portugal; UFF-Humana People to People, da Dinamarca.

Juntam-se, ainda, as doações do Humana Second Hand Fundraising Projects, que são as doações decorrentes do projeto de vendas de roupa em segunda mão.

Os apoios fazem-se em numerário e/ou em géneros. Desde 2015, por exemplo, a ADPP tem uma parceria com UFF-Humana People to People, da Dinamarca para recolha e envio de materiais em segunda mão. No âmbito desta parceria recebeu em 2018 dois contentores, um com equipamento hospitalar que beneficiou o hospital em Bissorã com camas e outros equipamentos hospitalares, além de cadeiras de rodas e muletas para a Escola de portadores de deficiência física de Bissorã. O segundo contentor de mobiliário destinou-se a equipar a Escola de Formação de Professores e Jardim Caderná (préescolar) em Bachil e a Escola Vocacional de Bissorã.

Camas cedidas ao hospital de Bissorã no âmbito das relações de parceria entre a ADPP Guiné-Bissau e a UFF-Humana People to People.

 

Noticia da dação da UFFHumana People to People (da Dinamarca) no Jornal “Nô Pintcha”

Durante os últimos anos, a Escola de Formação de Professores recebeu também livros da Humana Portugal. Os livros são usados na comunidade e inspiraram os alunos e professores a fazerem um Clube de Leitura.

AS PLANTAÇÕES DE CAJU – DESTAQUES DE 2018

Desde os primórdios da sua ação, nos anos 80, que a ADPP Guiné-Bissau considerou crucial a valorização do sector agrícola e, em particular, do caju enquanto motor de desenvolvimento socioeconómico do país bem como meio para o trabalho social que desenvolvia.

Atualmente é reconhecido o impacto da ADPP no desenvolvimento das boas práticas de plantação que se difundiram através dos muitos colaboradores da ADPP que, posteriormente, levaram os conhecimentos para as suas comunidades e produções familiares.

Até à data, a ADPP Guiné-Bissau já formou e empregou mais de 700 jovens nas diferentes funções da produção de caju.

A partir de 2010, na Província do Norte, em Oio, a ADPP iniciou o aluguer de parcelas de um terreno de 606 hectares, de que é proprietária, a taxas simbólicas a pequenos agricultores que recebem formação promovida pela ADPP e diversas ajudas técnicas para a promoção de boas práticas de cultivo e gestão de pomares de cajueiros.

  • 95.000 kg de castanhas de caju produzidos no total das parcelas alugadas
  • 146 famílias de pequenos agricultores com pomares de cajueiros em plena produção
  • 146 parcelas do terreno receberam controlo de pragas/doenças e foram podadas as árvores dos pomares
  • 1 ação de limpeza aos 606 hectares e às 146 parcelas alugadas, realizada pelas famílias beneficiárias
  • 1 Mapeamento de 606 hectares de pomares de cajueiros realizado, com levantamento de dados estatísticos sobre as condições físicas, produtividade e qualidade das 16.834 árvores existentes
  • 146 pequenos agricultores/produtores de caju receberam formação em Boas Práticas nas Culturas de Caju e em Gestão Financeira  1 formação de capacitação dirigida para 10 líderes do projeto realizada
  • 146 famílias de pequenos agricultores/produtores de caju selecionadas para arrendatárias de pequenas parcelas (4.15 hectares/família) para a promoção de boas pratica de cultivo e gestão de pomares de cajueiros