Educação

Educação de qualidade, para todos e com impacto no futuro!

“É preciso um comunidade para educar uma criança”. Educar é uma tarefa complexa que exige o esforço de vários atores e por isso é considerada um dos grandes pilares do desenvolvimento social e humano.

A Educação deve permitir a aquisição de conhecimentos teóricos e práticos base que nos dão uma visão do mundo em que vivemos, e deve permitir criação de atitude e capacidade para atuar consoante os desafios contemporâneos. No entanto, uma educação de qualidade cria ferramentas reflexivas essenciais à formação de qualquer cidadão. Cidadãos informados e com capacidade critica criam sociedades mais justas e capazes de se adaptar e responder aos problemas que enfrentam. Os desafios que a contemporaneidade coloca à Educação são grandes e complexos. Não há Educação sem paz, estabilidade e prosperidade. E não há Educação sem professores – não os detentores do conhecimento, mas os responsáveis por cativar e despoletar a vontade e a curiosidade de aprender. São precisos professores qualificados, motivados e capazes de compreender o papel determinante que possuem no florescimento das comunidades rurais. E se almejamos termais raparigas nas escolas, comecemos por ter mais professoras mulheres. Trabalhemos para uma educação cidadã voltada para o desenvolvimento local e promotora de paz e prosperidade. É por isso natural que os dois projetos permanentes da ADPP GB sejam na área da Educação: a Escola de Formação de Professores em Bachil, região de Cacheu e a Escola Vocacional em Bissorã, região de Oio.

A Escola Vocacional Bissorã

A Escola Vocacional de Bissorã oferece formação profissionalizante, que é amplamente considerada como basilar no desenvolvimento de qualquer país. Esta permite fazer o país avançar em áreas-chave e dá a possibilidade aos técnicos de encontrarem emprego ou de criarem o seu próprio negócio.

O ano de 2019 foi de grandes conquistas para um estabelecimento que funciona desde 1997. Pela primeira vez foram leccionados 13 cursos num ano letivo, perfazendo um total de 189 graduados, de um universo de 1.773 graduados desde a sua fundação. A Escola ministrou os habituais cursos de 11 meses: Agro-pecuária, Construção Civil, Canalização & Bombas Manuais, Comércio & Administração, Nível Básico de Eletricidade e Energia Solar e Nível Avançado de Eletricidade e Energia Solar criado em parceria com a Schneider Electrics Foundation. Adicionou-se ao currículo da escola os cursos de Corte & Costura, Mecanização de Motorizadas e Bicicletas e Informática, Reparação e Manutenção de Computadores, implementados em parceria com a ONG Sol Sem Fronteiras e financiados pelo Instituto Camões, IP. No quadro do Projeto de Desenvolvimento da Cadeia de Valor de Arroz, financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento implementaram-se os cursos de curta duração de Orizicultura, Mecanização Agrícola e iniciou-se o curso de Empreendedorismo Agrícola (agronegócio) com 19 estudantes que terminarão no inicio de 2020. A escola conseguiu chegar a jovens das nove regiões administrativas do país e criar mais oportunidades para equilibrar o acesso à formação profissional por parte das jovens mulheres.

A Escola de Formação de Professores DNS

A Escola de Formação de Professores (EPF) iniciou em 2012 com um programa de três anos, a partir do qual os jovens podem se formar professores para o Ensino Básico (1o e 2o ciclo); O programa visa a motivando-os e desafiando-os a serem professores nas zonas rurais, onde a educação é menos acessível e por isso precisa mais professores. A formação é centrada no estudante, respeitando o seu ritmo de aprendizagem. É também muito prática e com diversos períodos de estágio nas comunidades. Em 2019, 48 escolas primárias da região de Cacheu beneficiaram das atividades formativas das diferentes turmas da EPF. Estas também beneficiaram de sensibilizações sobre Direitos Humanos através dum projeto financiado pela Embaixada dos Países Baixos em Dakar. Até 2019, a EPF graduou 165 professores, 49 dos quais no ano a que reportamos. Sendo o programa da formação reconhecido pelo Ministério da Educação, os graduados integram os quadros do Governo da Guiné-Bissau. Em 2019 iniciaram a formação 47 novos estudante, dos quais 49% são mulheres. Estamos assim mais perto do objetivo de paridade de género que tanto se ambiciona. Dentro do recinto da EPF existe uma escolinha frequentada por 70 crianças da comunidade vizinha, onde trabalham duas professoras da comunidade e onde os estudantes da EPF dão constantemente a sua contribuição, e assim terão a possibilidade de ter pratica pedagógica contínua.

A Escola DNS nasce inspirada na experiência da Federação Humana People to People que, desde o ano 1993, tem em funcionamento mais de 50 escolas em Moçambique, Congo, Angola, Zâmbia, Malawi ou Índia. Desde então mais de 49.000 professores foram graduados e integrados nas comunidades abrangendo mais de 2 milhões e meio de estudantes.