Saúde

No plano da Saúde a ADPP  GB tem lutado na informação e sensibilização das populações para a prevenção e tratamento de doenças como o HIV/SIDA, Paludismo, Tuberculose, Ébola e Zica. Os programas como o Total Controlo de Epidemias estão baseados na formação especializada de Agentes de Saúde Comunitária ou Oficiais de Campo cuja função é identificar, informar, orientar, mobilizar, mudar os comportamentos e derrubar preconceitos e estigmas, sobre os perigos, riscos, o contágio, a prevenção e o tratamento destas doenças nas comunidades.

 

Agentes de Saúde Comunitária

O projeto operou nas áreas sanitárias de Oio e Farim (2013-2016) com o fim de reduzir a mortalidade materna infantil através da capacitação de Agentes de Saúde Comunitária para funcionar como ponte de união entre a comunidade e as instituições públicas sanitárias. Para o efeito, os Agentes de Saúde Comunitária são treinados e formados para liderar ás mobilizações das comunidades para se aderir ás 16 Práticas Familiares Essenciais, sendo que cada Agente é responsável do seguimento de cerca de 50 famílias.

Para além do trabalho com as comunidades, o projeto operou para fortalecer
as competências das autoridades sanitárias locais junto com o Ministério de Saúde e as equipas sanitárias regionais, contribuindo assim á criação de sinergias entre os parceiros e agentes envolvidos na área da saúde para garantir a sustentabilidade do projeto e os resultados desejados para o desenvolvimento das populações.

 

Fortificação de Saúde e Prevenção de Epidemias   

O projeto tem por objetivo fortalecer a capacidade das comunidades das regiões fronteiriças de Gabú e Bolama-Bijagós,  para fazer frente a doenças e epidemias comuns, aumentando assim suas habilidades de prevenção de problemas de saúde comunitária. O projeto da continuação ás ações levadas a cabo pela ADPP GB desde o ano 2015 nas áreas fronteiriças da Guiné-Bissau, para a prevenção da propagação do vírus do Ébola e outras epidemias.

Em Maio de 2016 a OMS declarou por terminado O Estado de Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional com um balanço de 28.616 casos suspeitos e 11.310 pessoas mortas. O balanço mostra assim que a pobreza e o sistema delicado de saúde, no caso presente, da Guiné-Bissau, com um Estado frágil, faz com que seja preciso ainda o reforço das comunidades mais vulneráveis de cara as epidemias recorrentes e relacionadas com a higiene mais comunes e de recente aparição como o vírus Zica.

Fortificação da Saúde e Prevenção de Epidemas baseasse na criação de um  Corpo de Saúde de Voluntários, integrado por 35 pessoas, encarregado da realização de campanhas e ações de sensibilização sobre saúde comunitária, nutrição saudável e epidemias comuns, bem como na identificação e mobilização de voluntários e comissões locais já treinados anteriormente pela ADPP Guiné-Bissau.

A ação é levada a cabo na região de Gabú e nas ilhas com maior população da região Bolama-Bijagos, atuando assim nas localizações onde o Corpo de Ebola da ADPP GB trabalhou em 2015 e onde ainda existe uma rede e uma base de mobilização para reforçar a defesa e consciência das comunidades. A ação será levada a cabo em estreita cooperação com o Ministério da Saúde, tanto a nível central como regional.

Com o  objetivo  de elevar a compreensão, a consciência e a prontidão das comunidades  para mudar  atitutudes em questões de saúde, desenvolver-se-ão atividades mensais:

  • Lições sobre conhecimentos básicos de higiene e nutrição nas escolas
  • Ajudar a escola a iniciar um pequeno jardim
  • Teatro no mercado e outras atividades culturais sobre questões de saúde
  • Distribuição de mosquiteiros tratados e instrução as pessoas a usá-los corretamente
  • Acão numa clínica local para limpar e tornar o ambiente mais amigável
  • Visitas de porta em porta com mapeamento das ações necessárias para ajudar às famílias a melhorar a saúde
  • Lições sobre um tópico específico para as pessoas na sala de espera na clínica/hospital
  • Lição sobre como prevenir doenças em um determinado ambiente de trabalho
  • Reunir estatísticas de saúde necessárias para às autoridades locais
  • Campanha de mobilização para a vacinação de crianças
  • Treinamentos com voluntários locais para aumentarem o nível de compreensão, capacidade e engajamento
  • Reuniões com as autoridades locais de saúde para compartilhar problemas e encontrar soluções para o sistema de saúde local

 

Água e Saneamento Liderado pelas Comunidades

Com o fim de facilitar o acesso ao saneamento básico e condições de higiene das comunidades de Oio, Gabú, Bafatá e Tombali e melhorar as estruturas comunitárias de saneamento e aprovisionamento de água, iniciou no ano 2015 o projeto Moransa Limpo Pus, financiado pela União Europeia.

Para atingir o objetivo final de melhorar as condições de saneamento e higiene das 88 comunidades beneficiárias do projeto, foram formados, no ano 2016, 86  ativistas  cujas tarefas primordiais foram e serão: a sensibilização das populações sobre medidas de prevenção de higiene para sua declaração como comunidades Livres de Defecação a Céu Aberto; construção e melhoría das latrinas existentes;assegurar o funcionamento dos grupos de saneamento nas comunidades e assegurar o funcionamento das Associações de Recursos Hídricos para gerir as bombas e fontes almentados com painéis solares.

Seguindo a mesma linha, em maio de 2016, na região de Oio começou o programa Participação e Educação Comunitária na Região de Oio, que, durante o ano 2016, focalizou sua intervenção inicial no recenseamento de 38 pontos de água; na identificação de organizações do setor de água, higiene e saneamento para a criação de um grupo de água e saneamento na região a semelhança das outras regiões.

 

Total Controlo das Epidemias

Total Controlo das Epidemias é um programa focalizado na prevenção da transmissão de VIH. A filosofia do programa baseasse no fato de ser a população a responsável em liderar o fim da epidemia. O programa mobiliza as pessoas através de campanhas de sensibilização para mudar seus hábitos  e acudir aos centros de saúde para a realização de VIH teste, tratamentos de VIH e de transmissão de doenças sexuais ou injeções, participação nos programas de saúde materno-infantil e tratamento de tuberculose.

A ADPP Guiné-Bissau, em colaboração com o Secretariado Nacional de Luta contra o Sida (SNLS) implementou o programa focalizado na população jovem mais vulnerável.